quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Ironic

Sabem o que é irónico? Pois aqui estou eu para vos falar um pouco sobre a ironia. Não é irónico avisarmos uma pessoa de alguma coisa que está errada e fazermos o que dissemos ao outro para não fazer no momento seguinte? Não é irónico dizermos “Deixa-te estar ai que estás bem” e depois vamos nós aquele sitio que dizíamos nunca entrar? Pois bem, isso não é só ironia. Não vos vou julgar pelo que são, nem pelo que querem em cada momento. A vida muda, as vontades também. Mas venho aqui especialmente falar de algumas pessoas que tanto me desiludem e magoam a cada dia que passa. Todos os dias tenho de lidar com elas, e ignorar os seus comentários torna-se não difícil, mas impossível. Dizem que tenho mau feitio, pois eu admito-o com muito orgulho. E sabem porquê? Porque faz parte da minha personalidade, porque é ele que me faz insistir e persistir todos os dias, desde que me levanto até que me deito. É ele não me deixa desistir, porque a vontade e a persistência tornam-se maiores que tudo o resto. Admito também que, por vezes, falo mal com as pessoas de quem mais gosto. Isso é errado, eu sei. Mas todos nós sabemos que quem apanhamos 1º há nossa frente quando estamos irritados, sem paciência e que nos é muito próximo, torna-se alguém que sabemos que podemos “mal tratar” e depois pedir-lhe desculpa. No meio disto, também posso afirmar com toda a certeza que mudei. Mas mudei para melhor, pois já sei controlar melhor o meu mau feitio. Aprendi a sorrir, em vez de olhar com aqueles olhos de quem quer matar alguém. Aprendi a olhar e a acenar com a cabeça, para responder se não me apetecer falar. Mas agora, ando a aprender uma nova e difícil lição para mim. A de ser menos impulsiva. A de estar calada. A de não falar quando não devo. A de não magoar os outros. Além de difícil, tem sido dolorosa para mim. Não sei porque acordo todos os dias com um sorriso para mostrar a alguém, e quando chego ao pé desse alguém ele me mostra um olhar arrogante, indiferente e agressivo. E quando abro a boca, estrago tudo. Então, vou aprender a calar-me e a falar para mim. A pensar e a agir nos momentos certos. Mas continuo a não perceber, porque me mostram uma cara “má” e agressiva todos os dias se dizem gostar de mim. Porquê? Já não aguento esse vosso mal-estar com a vida, essa vontade que vocês têm de deixar alguém mal disposto e com vontade de morrer ou fugir daqui. Já não vos aguento mais. Estão mal com o mundo? Têm 2 soluções: ou desaparecem ou mudam de atitude de vez! Eu acho que sei qual a mais acertada, e vocês também. Aqui vos peço, por vocês, por mim e pelos outros, mudem a vossa atitude de uma vez por todas! E, no meio de tantas palavras e da revolta que sinto, apenas percebo uma coisa. Não sei viver com vocês, nem sem vocês.

1 comentário: